Notícias PCARP


Reeducação Alimentar tem novas turmas

Se você se preocupa com sua alimentação, forma física, quer ter uma melhor qualidade de vida e para isso quer receber orientação alimentar, apoio psicológico e realizar atividades físicas, de 9 a 17 de maio, estarão abertas as inscrições para mais uma turma do Programa de Reeducação Alimentar do Centro Multidisciplinar de Promoção a Saúde e Prevenção de Doenças da PCARP. O Programa é desenvolvido durante dez semanas, com um encontro semanal que acontece sempre às segundas-feiras, das 14 às 15h30, além da atividade física, as segundas, quartas e sextas-feiras, das 17 às 18 horas.

Os interessados devem se inscrever pessoalmente no Centro que fica na Rua Paineiras, das 9h às 12h e das 13h às 17h, com a Sra. Luci, preenchendo uma ficha de inscrição com dados pessoais, além do peso e altura. Após esse período, serão formadas turmas de acordo com interesses em comum e o primeiro grupo iniciará as atividades dia 7 de agosto.

Iniciado em março de 2005, o Programa é coordenado pela professora Rosane Pilot Pessa Ribeiro, da Escola de Enfermagem (EERP), e Abel Elias Rahal, do Centro de Educação Física, Esportes e Recreação (CEFER), juntamente com uma equipe composta por duas nutricionistas, uma psicóloga, uma aluna de graduação em Enfermagem. Cerca de 70 usuários da comunidade do Câmpus já participaram do programa em quatro grupos.

Segundo a professora Rosane, durante as atividades o indivíduo é estimulado a reaprender a comer de forma mais equilibrada, substituindo antigos hábitos por práticas alimentares mais saudáveis e são informados e discutidos o valor calórico dos alimentos, os nutrientes e suas funções no organismo, alimentos diet e light, rótulos nutricionais, entre outros assuntos. “Nesse contexto, a manutenção ou perda de peso será mera conseqüência dessa mudança, que quando incorporada no cotidiano de vida, passará a ser um novo jeito de viver. Além disso a atividade em grupo procura identificar conflitos de ordem emocional que possam determinar comportamentos alimentares como forma compensatória como, por exemplo, ingerir alimentos para saciar uma fome que não existe, necessariamente, de origem orgânica. Compartilhando os problemas comuns a todos, é possível buscar novas formas e jeitos para enfrentar velhos caminhos”, explica.


Escrito por: Rosemeire Soares Talamone
Inserido em 05/05/2006